Dicas dos especialistas

 

 

Distúrbios do sono: ronco e insônia podem aumentar riscos de infarto e derrame

Tratamento envolve identificar e tratar a causa das alterações e seguir hábitos saudáveis de vida.

 Henrique Fernandez Mendes - Neurologista 

É fácil saber quando a noite de sono não foi das melhores. Se, ao acordar, sentir indisposição e vontade de não sair da cama, ou dormir além da conta e perder compromissos com hora marcada, é prova de que houve algum problema durante a noite.

Ter vontade de dormir um pouco mais é normal, principalmente, com a atual vida agitada e a agenda lotada, com tarefas que tomam todo o dia. Contudo, se esta prática se tornar frequente e o cansaço diurno for excessivo a ponto de atrapalhar afazeres que exijam atenção e concentração, como dirigir ou trabalhar, o problema precisa ser investigado, pois pode se tratar de algum distúrbio do sono.

As alterações nos padrões normais de sono podem afetar negativamente a saúde, como explica Dr. Henrique Fernandez Mendes, neurologista especialista em problemas do sono, do Centro Médico São José, de Cerquilho. “Temos três grandes problemas do sono: ronco, apneia e insônia. Todos eles têm tratamento e precisam de atenção, pois noites mal dormidas podem causar diversos problemas, como a diminuição da qualidade de vida, alterações no metabolismo, além de aumentar o risco de infarto e derrame”, alerta.

Todos os distúrbios do sono possuem tratamento, que variam de acordo com o diagnóstico da causa do problema. “Não buscamos tratar o distúrbio em si, mas, sim, identificar e tratar o que está causando o problema, para que desapareça. Para isto, utilizamos um exame chamado polissonografia, em que a pessoa passa uma noite na clínica, dormindo, com uma série de sensores no corpo. Desta forma, produzimos um relatório com a análise de diversos parâmetros, que ajudam a chegar ao diagnóstico correto e orientar o tratamento”, explica.

 

Baixas temperaturas aumentam riscos de lesões musculares durante atividades físicas

Especialista explica como pode ocorrer o problema e dá dicas para evitar.

Filippo Zozolotto - Ortopedista Joelho

Os dias quentes e abafados ficaram para trás. O outono e o inverno reservam meses de baixas temperaturas, até que os termômetros voltem a subir, com a chegada da primavera.

Assim, não é só a vontade de ficar em casa que aumenta. Os riscos de sofrer lesões musculares, durante atividades físicas, também são bem maiores nesta época do ano, como explica Dr. Filippo Zozolotto, médico ortopedista do Centro Médico São José, de Cerquilho (SP). “Com o frio, a circulação sanguínea nos músculos diminui, pois o sangue prioriza manter o aquecimento dos órgãos vitais. Com menos sangue irrigando a musculatura, pode haver o rompimento de fibras musculares, principalmente, quando exigidas, como durante a prática de esportes”, conta.

Processo semelhante ocorre com as cãibras, comuns quando se pratica exercícios, logo após as refeições. “Quando comemos, muito sangue vai para a região do estômago, auxiliar no trabalho dos órgãos digestivos, deixando os músculos pouco irrigados. Desta forma, falta oxigenação nos músculos, o que pode provocar as cãibras, perigosas, ainda mais, quando se está na água”, compara.

Este tipo de lesão muscular atinge, em especial, “atletas de fim de semana”, como conta o ortopedista. “Pessoas que não estão acostumadas a praticar exercícios estão mais suscetíveis às lesões, pois o corpo não está adaptado, diferentemente de um atleta, que já possui uma musculatura adequada”, comenta.

Para evitar lesões musculares durante os dias frios, é fundamental fazer uso de um recurso conhecido: o aquecimento. “Como o nome diz, o aquecimento aquece os músculos, preparando-os para a prática de atividades físicas. Com os músculos alongados e aquecidos, o fluxo sanguíneo aumenta, diminuindo o risco de lesões. Isto ocorre, pois o corpo percebe que está em movimento e se adequa à necessidade daquele momento. Iniciando o exercício abruptamente, o corpo não tem tempo de se adaptar e, então, podem ocorrer lesões”.

Caso a pessoa sinta dor intensa nos músculos, durante a prática de um esporte, é sinal de que pode ter ocorrido uma lesão. “Nestes casos, o ideal é parar imediatamente o exercício e procurar um médico especialista, que irá avaliar a lesão e indicar o melhor tratamento”, conclui.

Fonte: Centro Médico São José.  Mais informações: (15) 3288-4848 ou www.facebook.com/centromedicosaojose.

NOSSAS UNIDADES  

Cerquilho
Av. Presidente Washington Luiz nº 392 
Centro
phone icon1 (15)3288-4848

 

Tietê
Rua Dos Expedicionários nº 314
Centro
phone icon1 (15)3285-4848

 

Boituva
Rua José Scomparim nº 230
Jardim Hermínia
phone icon1 (15)3263-8282